ACALANTO

Sossega teu sonho em meu regaço

Que ainda há tempo para o amor

– É tarde, dizes assim

Meio sonolento,

Peito cheio de dor,

Alma ao relento…

Deixa nascer em ti

Um novo rebento

Acorda teu dia

Enrosca tua esperança

E teu cansaço

Em minha alma ardente

Esquece o mundo lá fora

Ele mente…

O amor e os amantes

Não são almas carentes

Volta a sonhar

Pendura teu desânimo

Nas asas do vento

Deixa renascer tua alma

O mundo é voraz

Mas a vida pede calma

Ama, nada mais terno

Para revigorar a esperança

Vive que viver em amor

Não cansa

Escrito por

Sônia Moura

SÔNIA MOURA é Doutora em Letras (Literatura Comparada), Mestra em Letras (Literatura Brasileira), Pesquisadora na área da Simbologia, Professora de Língua Portuguesa e de Literatura Brasileira e Produtora Cultural.

No centro de suas atividades, está sua parceira inseparável: a arte, coordenando suas múltiplas vozes e os misteriosos momentos da sua criação.