GULA

 Gula

GULA (Autoria: Sônia Moura)

Saboreie meu corpo
Quero a sua luz
Quero o rumo
A que me conduz
O sabor do seu falo

Leve é o seu corpo sobre o meu
Pesado é o fardo de não ter você
Assim como é amarga a separação
Tão doce é a hora de lhe encontrar
E poder amar, amar

Suaves são seus lábios
Sobre minhas bocas
Quando em compassos
Que me descompassam
O quente de sua boca
Me faz delirar
Enquanto mil sonhos
Por mim passam

Tome o meu corpo
E me faça sua
Alcance o meu desejo
Quero seus beijos
Procuro teus abraços
Ouço seu canto,
São loucos gemidos
Sinto o deslizar de suas mãos
Beijo seus dedos
Sinto o seu pulsar

Estamos agora
Entre Eros e Tanatos
Abro-lhe meu corpo
Dou-lhe minhas fendas
Em múltiplas oferendas

Comemos do manjar dos deuses
Bebemos do vinho dos amantes

Nossos corpos
Estremecem em espasmos
E seguimos seguros
Seguros na cauda de um cometa
A cavalgar até o infinito
É hora do orgasmo,
É a hora infinda do prazer
Vem, meu bardo
Vem meu louco amor
Vem, meu companheiro
Vem meu versejador
Vem, meu anjo lindo,
Para dentro de mim
Um poema de amor compor

(Do livro POEMAS EM TRÂNSITO de Sônia Moura)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *