VOZES

(A primeira voz)

              I

Nasci para a vida ontem

Eu já nem sei mesmo quanto tempo faz

Caminho por estradas tortuosas

Por vias sinuosas

Mas tenho a certeza de que

Um dia eu chego lá

            II

A natureza me trata com carinho

A poesia me embala o canto

Da escrita roubo um doce beijo

Do canto dos pássaros sorvo a beleza

E vejo em cada flor um novo encanto

             III

Quem dera o doce bem-te-vi

Dissesse a mim onde tu estás

E uma fada surgisse em minha caminhada

Trouxesse a certeza de um novo encontro

E por uma lente de contato azul

Eu visse a tua face em um espelho

Que me falasse de ti…

  (A segunda voz) 

                I    

  Acorda, menina, desta fantasia

Tens a tua frente a realidade luzidia

Janela aberta para todos os mistérios

Tirando-te desta embriaguez

De sonhares e desejares

O que não existe mais

                II

Não vês que teus sonhos

Fazem de teus delírios um chiste?

Acorda, o dia já desperta,

E a vida não deve tardar

Acorda, mude teus planos,

Aceita, pois é hora de recomeçar

              III

Tu tens um mundo

A esperar por ti

Cuidado que ele pode se cansarSonhe, mas sem da vida real

Muito se afastar

Entenda que a realidade e a fantasia

Balançam mais que as ondas do mar

E nem sempre conseguem se encontrar

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *